domingo, 2 de novembro de 2008

91 Rock: um novo espaço pro futebol

O futebol curitibano ganhou um novo espaço radiofônico, com a abertura dos estúdios da 91 Rock para as transmissões de partidas de futebol dos times da capital paranaense.

Ainda em fase experiemental e busca de parceiros comerciais, a equipe de jornalismo esportivo conta com o narrador Napoleão de Almeida; Titi Barros (jornalista) e Leo Bechtloff (âncora da rádio); Mauro Ribas comenta os jogos (Mauro é professor de Ed. Física e ex-jogador profissional). Quem faz o plantão é o Mauro Mueller, que já trabalha há bastante tempo com rádio, TV e cultura, inclusive na Transamérica, nos tempos de Alexandre Zraik, jornalista precocemente falecido num fatídico acidente automobilístico.

Além da transmissão de algumas partidas do Brasileirão 2009, a 91 terá na durante a sua programação diária, Mauro Muller fazendo boletins com a cobertura dos três times.

"O espírito é bem rock-n-roll. Falamos de música, somos descontraídos, mas não temos a pretensão de sermos humoristas ou criar personagens e muito menos sermos super-sisudos",
esclarece Napoleão.

Na semana que vem, a equipe da 91 Rock fará a transmissão do jogo Coritiba x Náutico, dia 9, às 17h. Fica a dica, é mais um espaço, num mercado tão enxuto quanto carente de boas opções para quem quer curtir uma transmissão pela rádio.

Fica a dica pra galera que gosta de Rock. A rádio mudou muito - e pra melhor! - e o espaço pra nova geração de (bons) jornalistas é necessária de ser criada, pois a mesmice fez do nosso futebol ficar enfraquecido...

Festa chique

Da coluna 'Intervalo', assinada por Rodrigo Fernandes em colaboração com Ana Luzia Mikos, Robson Martins e Robson De Lazzari.



Chique


Dia 10 de novembro, o Coritiba vai fazer uma festa vip para o lançamento do calendário para os festejos do centenário. Até mesmo o técnico Dunga está na lista de convidados do Coxa para o evento, que será no espaço Indra Catering. O traje exigido é passeio completo. E o mestre de cerimônia – ao que tudo indica – serão os apresentadores Milton Neves e Renata Fan. O ingresso custa R$ 300, mas para adquiri-lo precisa fazer parte de uma seleta lista.


Terá uma baita festa chique.

E o povão, como fica? Quais serão os eventos populares pra torcida comemorar o Centenário?

(Foto: Martin Boulanger)

Bronca tardia...

Depois do fracasso frente ao lanterna Ipatinga, Homero Halila, diretor de futebol do Coritiba, soltou o verbo numa coletiva à imprensa.

O homem forte do futebol Coxa-Branca não poupou palavras pra demonstrar o desagrado com a má apresentação que culminou com a derrota por 2x0 para o Ipatinga, resultado tido por ele como “Profundamente lamentável”.

O dirigente do Alviverde voltou a confirmar que o Clube está honrando seus compromissos com os jogadores. “Nossas obrigações estão em dia. Assim como eles nos cobram, vamos cobrar”, disse Homero aos repórteres Edu Brasil e Caco Mazanek, que acompanharam o jogo no Vale do Aço mineiro.

Halila garantiu que a derrota não passará em branco, com os atletas sendo cobrados pelo mau desempenho em Minas. “O grupo tem que ser cobrado. Vamos falar com eles e exigir motivação, luta e que eles pelo menos corram para defender as cores do Coritiba”.

Em outro ponto da entrevista, Homero destacou que uma avaliação do elenco acontecerá, já que alguns atletas estão com um rendimento abaixo do esperado. “Vamos até rever alguns casos para seqüência de alguns jogadores nesta temporada. Alguns não estão demonstrando o futebol que esperávamos”. E foi além: só ficará no Clube para o ano do centenário os atletas que quiserem vestir a camisa. “Os jogadores vão ter que jogar. Só vai ficar quem quiser. Não vamos aceitar o comportamento que tivemos hoje para os próximos jogos”, destacou o diretor do Verdão.


A bronca foi acertada, foi justo, apesar de ter sido feito da forma errada e no momento errado. Forma errada por que minutos após Homero falar, Dorival falou e mudou o panorama da conversa. "Não é o momento. É um assunto interno que vou resolver com os jogadores. Não temos que trazer para cá o que acontece nos vestiários. Vamos resolver lá dentro, tenham certeza", ressaltou o treinador do Cori.

O desabafo de Halila, creio, traz o rastro de um desabafo de um torcedor, de cabeça quente.

Bom lembrar que dias atrás, Halila falara à imprensa dando conta que 70% do elenco ficaria... Agora, depois de mais um mau resultado, a bronca foi tardia. Deveria ter ocorrido antes do AtleTiba. Mas naquele momento da competição, dirigentes não pareciam estão tão focados no clássico...

Homero deveria deixar esta função para um profissional remunerado: Jamelli, que é gerente de futebol. A este profissional deveria ter ficado a incumbência de falar, já que é profissional e, em tese, capaz de analisar a situação do futebol Coxa-Branca de uma forma muito mais profunda e acertada, lendo as entrelinhas. Jamelli deve ser a pessoa capaz de avaliar, tanto dentro, como fora de campo, quem merece ou não continuar no Alto da Glória em 2009.

A bronca veio tarde. Assim como as correções dos desvios, o que não ocorreu. Enquanto o imponderável da bola estava do nosso lado era o momento mais propício. Agora, quando a bola bate na trave e sai - o imponderável vem e vai, joga 'contra' e a 'favor' -, ficou tarde demais.

Agora é fechar o ano e buscar um fecho em alto estilo. Depois, haverá menos de um mês para agir e montar o elenco que terá a obrigação de 'lutar' por todos os títulos dos campeonatos que o Verdão disputar no ano de seu centenário. Desta vez, a torcida terá menos tolerância do que teve este ano.