quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Um vexame

O Coritiba foi goleado de forma impiedosa pelo Flamengo, com Obina e tudo mais e sem seus dois de seus principais jogadores, Juan e Fábio Luciano. Foi um verdadeiro vexame do Cori, que já entrou em campo 'manco', já que o treinador Dorival Jr. sacou o atacante Ariel para colocar o meio-campista João Henrique.

Na prática, apenas Vanderlei mostrou um futebol condizente, defendendo uma penalidade - que acabou sendo convertida em gol, no rebote do lance -, mas falhando no quinto gol do time carioca. Os outros treze jogadores (DJ fez três substituições durante a partida) decepcionaram.

De concreto, o Coxa teve dois momentos de ofensividade. Logo no início do jogo, Ricardinho entrou livre pela esquerda e arrematou a gol, de frente para o goleiro. No rebote, Paraíba chuta fraco e o goleiro defende novamente. Depois, no tempo final, com uma tabela entre Marlos, Jaílson, Marlos e Keirrison, o camisa 9 bateu de pé esquerdo, no contra-pé do goleiro, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Na defesa, o pesado Obina levou vantagem em todos os lances, seja com a bola alçada, seja com a bola rasteira.

O Verdão mostrou fagilidade na defesa - lenta -, com os volantes - sem velocidade na saída de bola ofensiva e pecando na cobertura -, com os alas - que não atacaram e cederam espaços pelos lados do campo -, com os meias - não armaram - e com os atacantes, que não foram à linha de fundo, nem finalizaram ao gol.

O treinador coritibano fez uma lambança ao colocar Silvy no lugar de Tamandaré - apagadíssimo em campo -, piorando o panorama, já que cedeu espaços para o contragolpe pelo setor direito e depois colocando outro atacante pela direita, Jaílson, que estreou e praticamente não tocou na bola.

Desmanchado em campo - DJ fez uma bagunça tática, deixou Ariel de fora do jogo e literalmente levou um baile tático do treinador do time da Gávea -, o time Coxa-Branca foi sufocado pelo Fla, que se deu ao luxo de perder vários lances que poderia ter convertido em gol.

O árbitro Carlos Eugênio Simon voltou a ter uma arbitragem com um lance polêmico, quando não assinalou uma penalidade máxima reclamada pelo Verdão, em Marcos Tamandaré. Mesmo assim, o placar não foi originário em erros de arbitragem e sim, em erros táticos e técnicos do próprio time Coxa-Branca.

No segundo tempo, o Coritiba sucumbiu no aspecto físico, cedeu muitos espaços e levou "Olé!" do time flamenguista, num momento triste para a história do time do Alto da Glória, já que esta foi a maior goleada sofrida pelo Cori, contra o Fla, em toda a história do confronto.

Em suma, o Flamengo jogou como quis, fez cinco e poderia ter feito mais e o Coritiba mostrou uma fragilidade muito grande, incapaz de reverter parte do panorama da partida e chegar a pelo menos um gol, aquele que seria o gol de honra. Uma derrota que, infelizmente, foi merecida para o time, mas não para a torcida Coxa, que ficou com o gosto amargo do VEXAME para si.