terça-feira, 7 de outubro de 2008

Libertadores: premiação definida

Dias atrás indaguei se a diretoria do Coritiba teria definido a premiação pela conquista da vaga à Libertadores. Até então, não tinha tido a oportunidade de ter conhecimento, via imprensa, desta situação.

Pois bem, nesta terça, 7, o jornalista Rodrigo Sell trouxe o tema à tona, em entrevista com o homem forte do futebol coritibano, Homero Hilala.

Segundo o diretor de futebol do Coxa, “Isso já foi combinado no início do campeonato, uma premiação por objetivos. Todos os clubes fazem isso. É um prêmio pelo bom trabalho. Dependendo da colocação alcançada, os jogadores ganham uma determinada premiação”, destacou Halila.

(Foto: Steve Woods)

Quase cem e outras coisas...

Quase cem e outras coisas...

O Coritiba comemora no próximo dia 12, seus 99 anos de existência. No dia 13, haverá um jantar em Santa Felicidade, para a confraternização da torcida coritibana. Uma oportunidade para conhecer mais desta fabulosa instituição, pela qual uma legião gigantesca de torcedores se identifica. O amor de um povo, em verde e branco.

Beirando seu centenário, o Coritiba segue vivo depois do fiasco no AtleTiba, quando empatou com o fraquíssimo time da Baixada. Contra o Internacional, uma expressiva vitória, com jeito de goleada (apesar da diferença de dois gols), pois o Coxa fez uma apresentação inquestionavelmente merecedora da vitória.

Agora, é contra a Lusa, em São Paulo. A Império vai estar lá, apoiando o time. Fica o convite para quem não é associado da torcida e que não se identifica com ela, que organize excursões e acompanhe o Cori no jogo contra a Portuguesa. Jogo muito importante para quem quer estar na Libertadores no ano de seu centenário.

Coritiba, a torcida que nunca abandona.

(Foto: Valquir Aureliano)

Projetos para um novo Couto

Semana passada trouxe à discussão informações relacionadas a um dos projetos de empresas particulares interessadas em propor ao Coritiba uma parceria para construção de um novo estádio para o Verdão.

Circula pela cidade a informação de que nesta sexta, às 14h, haverá uma reunião entre representantes da Andrade Gutierrez - construtora - e a Votorantin, fornecedora de cimento e aço.

A construtora está interessada em construir 12 estádios pelo Brasil, um deles, em Curitiba, e irá apresentar o projeto contratado junto a três escritórios de arquitetura e design para os representantes comerciais da Votorantin, que querem avaliar o projeto. O objetivo da Andrade Gutierrez seria o de ter a Votorantin como fornecedora dos insumos para a obra. Também estaria presente um representante da imprensa.

Seriam 3 projetos, com estádios para 51 mil expectadores, além de espaço comercial (shopping center - e daí, uma empresa local, que tem investimentos também em Joinville poderia ser uma das parceiras do projeto) para atendimento de domingo a domingo. O investimento seria na ordem de 350 milhões de reias. Se a construção fosse no atual local do Couto Pereira, o projeto reduziria os custos em 51 milhões. Outras duas áreas, uma delas no Jóquei Clube, fariam parte do projeto para o novo estádio.

Até o momento, o Clube não teria sido contatado. Trata-se de uma avaliação entre dois gigantes da construção civil. A apresentação para o Coritiba seria feita na seqüência.

Estimasse que este projeto demoraria dois anos para estar concluído, com o novo estádio ficando pronto em 2012. A exploração comercial do estádio seria de 25 anos.

Também comenta-se de que a WTorres, empresa paulista que está investindo na construção do novo estádio do Palmeiras já teria contatado os diretores do Cori, um dos quais exigira a formulação de um protocolo de intenções para dar continuidade às conversações.

Em suma: até agora, existe interesse da iniciativa privada em investir na marca Coritiba, relacionando-a ao novo estádio da cidade de Curitiba. O Coritiba, pelo visto, está é no aguardo de receber propostas mais concretas.

(Foto: Marcello Schiavon)

A grana por Ariel

Quando da formalização do contrato de Ariel, a imprensa chegou a divulgar que o Coritiba tinha investido R$ 1,3 MI na contratação. Na época, era editor do site COXAnautas e fiz pesquisas na Internet. Lá na Argentina, a imprensa falava em 1,3 MI, mas de dólares.

Entrei em contato com o administrador do principal site da torcida do Nueva Chicago, ex-clube de Ariel. A informação que obtive foi a de que era aquele valor em dólares.

Dias atrás, o jornalista Róbson De Lazzari divulgou o valor de US$ 1,7MI. Na segunda-feira, o jornal retificava a informação, corrigindo-a para US$ 1,3 MI. Valor que eu tinha.

A discussão originada pela matéria do jornalista teve um final feliz, pelo menos com o esclarecimento dos valores.

Se a diretoria se manifestou sobre valores ao vender Henrique, me parece natural que o fizesse quando comprasse Ariel. No caso de Henrique, o negócio foi tratado como uma grande negociação para o Clube. Logo, se Ariel foi uma boa negociação, qual o problema em citar o valor da negoriação de Ariel, depois dela estar concluída?

(Foto: Stephen Hyun)

Diretoria: haverá de excursão?

Precisamos da torcida em São Paulo, no Canindé, no jogo super importante, contra a Portuguesa de Desportos.

A Império estará presente no Canindé. Mas só a Império não basta. Teremos que contar com mais torcedores. Daí, fico em dúvida: haverá alguma promoção da diretoria Coxa, no sentido de disponibilizar ônibus para sócios e conselheiros?