sábado, 23 de agosto de 2008

As estratégias de DJ

O treinador Dorival Jr. fica de fora do jogo deste domingo. Punido pelo STJD, o treinador do Coritiba não comandará o time e será substituído provisoriamente - pelo menos 30 dias, até o departamento jurídico do Coxa conseguir reverter a punição imposta - pelo auxiliar Ivan Rizzo.

DJ ficará por perto, mas não ficará no banco. Infelizmente, bom para os adversários.

Muricy é um treinador muito competente. Tanto que não faz média com a imprensa pra se manter onde está. Ele apenas traz resultados - lá no Morumbi, o profissionalismo impera - e se mantém no cargo.

Historicamente, jogar contra o São Paulo é complicado para o Verdão. Não será diferente domingo.

As respostas táticas terão que estar muito sintonizadas com o jogo.

Acredito que o time paulista jogará com Borges e André Luiz, deixando Aloísio no jogo. Irão apostar na falta de velocidade da defesa Coxa-Branca (zagueiros, volantes e laterais).

Os times terão um jogo decisivo. É até redundante falar isto, pois todo jogo é decisivo. Um confronto direto.

O Coritiba precisa jogar muita bola, ter muita atenção e ter muita luta e dedicação para superar as dificuldades e limitações e vencer em casa.

A torcida pode ser um diferencial favorável, mas precisará além de apoiar muito, ser paciente e tolerante.

Detalhes são do jogo. Vencer ou perder é feito com detalhes, mais ou menos vezes. Se quiser vencer o São Paulo, o Coritiba precisa vencer os detalhes, uma bola parada, um contragolpe, a posse de bola x a finalização correta.

Se tiver que jogar feio, que assim seja. Que as estratégias de DJ estejam em alta no Alto da Glória!

(Foto: Steve Woods)

Quer votar? Pague caro!

Correm boatos pelos corredores do poder do Alto da Glória que um grupo de conselheiros pretende reiventar os conceitos eleitorais do Coritiba. Para eles, só quem pagar (e caro!) pode ter direito a voto no Clube.

Curioso que na campanha eleitoral do Clube, não se falava desta eletização pretendida no Alto da Glória.

Hipoteticametne, claro, ter como referência o Barcelona, um clube com 117 mil sócios, dos quais - segundo eles -, 2 mil teriam direito a votos (sim, os milionários que podem pagar caro), vai na contramão de quem pretende ter um Clube democrático.

Parece que os pobres - esta referência não é minha - só servem se for pra votar nos candidatos a vereador ou prefeito que eles apóiam... Coisa feia.

Difícil será convencer o sócio do Coxa que é justo que agora os sócios tenham que pagar mais, digamos, hipoteticamente, R$ 300 por mês para votar. Até porque será natural o comparativo de quanto pagam os conselheiros. E de quanto eles conselheiros deveriam pagar se houver uma revisão estatutária - promessa de campanha de Jair Cirino e Tico Fontoura - na qual os novos sócios tiveram que pagar, hipoteticamente, trezentos reais por mês? É justo que se cobre mais, não? Ou só o sócio tem que pagar mais e o conselheiro não? Ou tem sentido em termos um conselheiro que pague menos do que um sócio pague para ter mais direitos que o sócio?

Será que os ricos são mais torcedores do que os pobres?

(Foto: Dani Simmonds)