domingo, 17 de agosto de 2008

Perguntas

É cansativo o discurso repetitivo de que o Coritiba precisa de reforços. Tão cansativo e repetitivo como indispensável para uma boa campanha na competição.

Contra o Palmeiras, DJ levou apenas dois zagueiros - para um time que jogaria no 3-6-1 - e, uma fatalidade, levou o time a perder Nenê (que estava bem no jogo) logo a 15 minutos de partida.

A contusão obrigou o treinador a mexer no time, colocando Veiga (mal na partida) no lugar de Rodrigo Mancha, fazendo o Cori jogar com dois zagueiros - o próprio Mancha e o capitão Maurício -, o que facilitou os avanços ofensivos do Palmeiras.

Depois da partida, o repórter Kako Mazanek comentou que o zagueiro Felipe sentiu uma contusão na sexta e este foi o motivo dele não estar relacionado para o jogo. Antes de mais nada, só gostaria de saber qual o motivo de nenhum órgão de imprensa, muito menos o site oficial do Coritiba, destacaram que Felipe havia se contundido? Ninguém sabia?

Outra dúvida é: com Thiago Bernardi e Evaldo (que está no Clube desde o final de julho) não forem relacionados. Suponho que se ambos estão no elenco, é porque devem ser úteis ao time. Lembro que já no dia 1º deste mês, Evaldo treinava com o elenco. E lembro que Jamelli falou à imprensa que o Coxa encontrava dificuldades para contratar por querer jogadores que pudessem estrear imediatamente. Pois bem, Evaldo está aí. Quando é que ele estréia?

O meia-direita que Dorival pediu após o jogo contra o Sport não surgiu ainda no Alto da Glória. E ninguém do departamento de futebol fala sobre o assunto.

SE
o Coritiba está com problemas financeiros, o problema é dos dirigentes, independetemente se foram causados pela gestão atual ou anterior (es). O Coxa precisa de reforços se quiser chegar na Libertadores ano que vem.

Falando em finanças, a quantas anda o dinheiro que seria superior a dois milhões de reais da venda do Michael ao futebol do Japão? Onde ele foi (ou está sendo) investido?

Falando em Libertadores, depois do jogo contra o Palmeiras, Dorival negou-se a fazer prognósticos de até onde o time pode ir nesta temporada. Ele disse que não irá mentir para o torcedor em projetar se o Coxa pode disputar o título, a Libertadores ou Sul-Americana. Pois bem, o treinador não quer falar. E a diretoria? Ela irá falar?

Bom, se o treinador não quer falar em Libertadores, agora é tarde. Até porque a torcida já cantou "Libertadores! Libertadores!" depois da vitória sobre o Sport.

Ah! E os reforços, chegam quando? Pelo menos um tem que vir, o meia-direita que o treinador falou na coletiva à imprensa, após a vitória sobre o Sport.

(Foto: Steve Woods)

Coxa cai em Sampa

No confronto entre alviverdes, quem ficou com a melhor foi o Palmeiras, que venceu por 1x0. Com o resultado, o Cori cai na tabela do Brasileirão, com 32 pontos, na oitava colocação. Nas duas próximas rodadas, o time Coxa-Branca jogará no Alto da Glória, contando com o apoio da sua torcida, contra Figueirense (na quarta-feira) e contra o São Paulo (no domingo).


Primeiro tempo

No confronto direto entre alviverdes do Paraná e de São Paulo em busca do G4, o Coritiba entrou em campo no Palestra Itália vestindo o uniforme 1, com camisa branca e listras verdes na horizontal, calção preto e meias brancas. O time Coxa formava com Vanderlei; Maurício, Rodrigo Mancha e Nenê; Rodrigo Heffner, Alê, Carlinhos Paraíba, João Henrique, Marlos e Rubens Cardoso; Keirrison. O Palmeiras, com alguns desfalques, vestia a camisa amarelo limão.

O time do Porco foi à frente logo aos 5, num lance individual de Kleber, que se livrou da marcação e entrou na área, tendo o cruzamento interceptado pelo zagueiro Nenê, que foi à cobertura pelo lado direito. No minuto seguinte, novamente Nenê apareceu bem na cobertura, ao cortar um cruzamento que deixaria Alex Mineiro de frente para o gol defendido por Vanderlei.

Nos primeiros dez minutos, o Coxa forçava a marcação no setor defensivo, marcando por zona e procurando evitar os espaços para os jogadores do Palmeiras chegarem à meta Coxa-Branca. Justamente aos 10, o time palmeirense levou muito perigo, com Evandro aproveitando um vacilo da marcação coritibana e acertando um chute rasteiro no canto, com a bola batendo na trave e saindo.

Aos 12, o Cori perdeu Nenê, contundido, com Veiga entrando no time paranaense. E aproveitando a ausência de um jogador Coxa, o Palmeiras quase fez o seu gol. Cruzamento da direita, de pé trocado e a cabeçada é defendida milagrosamente por Vanderlei, que evita o gol, tirando a bola que tinha destino certo. Na continuidade do lance, a zaga do Coritiba tira o perigo.

Com 15 jogados, o time da casa estava melhor postado em campo e já encontrava facilidade para chegar ao gol do Alviverde do Alto da Glória.

O Verdão paranaense tentava chegar ao ataque mais pelo lado esquerdo, com Rubens Cardoso. Aos 17, bom lance do Cori, que acertou a trave do goleiro palmeirense, com Rodrigo Mancha acertando um bonito chute de sem-pulo, que assustou o goleiro Marcos e 'incendiou' a torcida Coxa que estava em bom número no Estádio Parque Antártica.

O jogo ficou mais equilibrado por volta dos 20 minutos, apesar do esquema tático Coxa-Branca deixar K9 isolado na frente. Aos 23, Kleber avançou pela direita, se livrou de Rodrigo Mancha e passou para Alex Mineiro, mas o goleiro coritibano chegou na frente do atacante do Porco, evitando o lance ofensivo.

Com 25, Keirrison deixou Jeci na saudade e bateu de pé direito, quase caindo, para a defesa do goleiro palmeirense. No minuto seguinte, bom momento Coxa, com trocas de passes entre João Henrique, Marlos, Paraíba e Keirrison, que de dentro da área passou para João Henrique finalizar para fora.

Passados 30 minutos de jogo, o Coritiba equilibrou a partida e mostrou tranqüilidade para corrigir a marcação defensiva. Mancha ficou mais na posição de zagueiro, com Veiga sendo volante, fazendo dupla com Alê.

A partida se mostrava movimentada na intermediária, com poucas faltas e ambos os meio-campos procurando achar espaços para armar os contra-golpes ofensivos. Com 30, o Porco levou perigo pela direita da zaga Coxa-Branca. O jogador palmeirense bateu forte e o goleiro do Verdão defendeu bem, evitando o gol e tocando a bola pela linha de fundo. Na cobrança do escanteio, o camisa 1 do Cori recebeu a carga faltosa.

O time paulista quase chegou ao gol aos 33 minutos, num passe errado do Cori que acabou armando um contra-ataque pela direita. O time do Palmeiras entrou na grande área do Coxa, com dois chutes sendo cortados pela defesa Coxa-Branca. Na complementação, o palmeirense acerta a rede pelo lado de fora, num vacilo defensivo do Verdão. No minuto seguinte, a blitz palmeirense pelo lado esquerdo da defesa paranaense sufocou o Coritiba no campo defensivo, mas a zaga paranaense cortou a bola pelo linha lateral.

O primeiro cartão amarelo surgiu apenas aos 39 minutos, numa carga mais forte do lateral Fabinho Capixaba, do time paulista.

Aos 40, novamente Vanderlei aparece bem na partida, interceptando um chute forte. No rebote, Rubens Cardoso chuta para fora. No lance seguinte, pressão paulista: Diego Souza chuta com estilo e o camisa 1 do Coritiba toca a bola para escanteio. Na batida, novo escanteio para os palmeirenses. Na segunda cobrança, a zaga Coxa-Branca sai melhor e corta o lance.

Nos momentos finais do primeiro tempo, o Palmeiras apertou a saída de bola do Coxa. Diego Souza apareceu bem ao roubar uma bola de Veiga e cruzar para a boa saída de Vanderlei, o principal destaque Coxa-Branca no primeiro tempo.

Aos 46, RC faz uma falta no jogador palmeirense e recebe o primeiro cartão amarelo do time coritibano.

Na primeira etapa, o time da casa mostrou maior domínio das ações ofensivas, mas a zaga Coxa superou o ataque do Porco. O Cori se postou na defesa e buscou o contra-golpe, mas não conseguiu ter velocidade suficiente para superar a defensiva paulista.



Segundo tempo


Para o tempo final, o treinador do Coritiba, Dorival Jr., resolveu mudar o time, tirando Veiga para a entrada de Ricardinho, para fortalecer a marcação no setor esquerdo da defesa.

O primeiro momento de perigo do tempo final surge aos 9, num lance em que o Palmeiras bateu uma falta e Alê corta de cabeça. No no rebote, novo cruzamento para Gladstone, em impedimento, finalizar.

O time paulista continuava no ataque e Diego Souza acerta o travessão, num belo chute.

Para reforçar o meio-campo, DJ mexe no Coxa: sai Marlos para a entrada de Guaru. No time do Porco, Luxemburgo troca o volante Jumar para a entrada do hábil Denílson, deixando o time paulista mais ofensivo.

O jogo fica mais disputado, surgindo faltas e novos cartões amarelos: Carlinhos Capixaba pelo lado paranaense e Fabinho Capixaba, pelo lado paulista, o segundo dele na partida, que é expulso acertadamente pelo árbitro Sérgio da Silva Carvalho (DF).

Quando o jogo se mostrava equilibrado quando num lance rápido, pela direita, a zaga coritibana falha e Alex Mineiro cabeceia livre de marcação para fazer 1x0, aos 30 do segundo tempo.

Machucado, Diego Souza - que teve boa participação na partida - para a entrada do volante Martinez, que estava ameaçado de não jogar, mas se recuperou à tempo.

O Verdão do Alto da Glória teve um bom momento aos 36, quando Keirrison se livrou do marcador arriscou o chute, mas a bola saiu pela linha de fundo. Dois minutos depois foi a vez do time local chegar no ataque. Falta pela direita, Denilson cobra e Gladistone sobe mais alto que a zaga Coxa-Branca e cabeceia, para defesa de Vanderlei.

Neste momento do jogo, o Cori foi mais ao ataque, mas sem poder de finalização na conclusão ao gol de Marcos. Já o Palmeiras, procurava segurar o jogo, fazendo o tempo passar. Denilson chamava o jogo, cadenciando o futebol palmeirense.

Com um jogador a mais no campo, o Alviverde do Alto da Glória liberou mais o time pelo lado esquerdo, com Ricardinho, Guaru, Paraíba e Rubens Cardoso indo ao ataque.

Para segurar o resultado, Luxemburgo tira um atacante - Alex Mineiro - para a entrada de um volante - Maicossuel -, fechando o setor da intermediária do time paulista.

Nos minutos finais, Guaru recebe o cartão amarelo por reclamação. Na cobrança de uma falta em favor do Verdão, Mancha bate muito alto, com a bola passando longe da meta do Porco.

No último lance do jogo, Maicossuel faz jogada individual no interior da grande área, mas demora muito para concluir e Rodrigo Mancha rouba a bola. Fim de jogo, 1x0 para o Palmeiras, que aproveitou os erros do Coritiba e saiu vencedor.

Usando a cabeça

Pra vencer o Palmeiras, logo mais, em São Paulo, o Coritiba precisará usar a cabeça e forçar o jogo aéreo contra a defesa do time do Parque Antártica.

Ofensivamente, o Verdão do Alto da Glória precisa aproveitar a fragilidade da defesa palmeirense no jogo aéreo. E aí, Keirrison pode ser decisivo, apesar de não ser o seu forte o jogo aéreo. Por ser um atleta que se coloca muito bem dentro da grande área, K9 mais cedo ou mais tarde terá uma oportunidade durante o jogo desta noite, na capital paulista.

Já defensivamente, o time Coxa-Branca precisa ser muito forte na marcação e não dar espaços para o time paulista avançar contra a meta de Vanderlei. Apesar dos desfalques, o Palmeiras deve ter um futebol perigoso contra o Coritiba. Todo cuidado é pouco.

(Foto: Marcello Schiavon)