terça-feira, 12 de agosto de 2008

Matemática para a Libertadores

Por Rogério Scarione

Tendo como base a classificação final do Campeonato Brasileiro de 2007, o Coritiba deve apenas fazer o dever de casa para se classificar para a Libertadores do próximo ano.

No ano passado, o Fluminense, quarto colocado no campeonato, terminou a competição com 61 pontos. O Cori, hoje, tem 32 pontos e tem mais 30 pontos para disputar dentro do Couto Pereira, ou seja, se vencer os 10 jogos, em casa, o Coritiba estará matematicamente classificado para o torneio continental.

Para que o Verdão conquiste o título é mais complicado, pois o clube enfrentará adversários diretos como Palmeiras, Cruzeiro e Grêmio, fora de seus domínios. Segundo o matemático Tristão Garcia, do site Infobola, o clube paranaense tem 5% de chances de levantar a taça este ano.

Outro fator que motiva os torcedores Alviverdes é de que o Cori tem o segundo melhor aproveitamento fora de casa, perdendo apenas para o Grêmio.

CORITIBA NA LIBERTADORES, EU ACREDITO.

Mais problemas no adversário

O Palmeiras, adversário do Coritiba neste fim de semana, pode ter dois desfalques por contusão: os meio-campistas Pierre e Martinez.

O primeiro já estava vetado para o jogo contra o Vasco, pela Sul-Americana, por sentir dores no joelho devido a uma entorse sofrida logo no início da partida contra o Botafogo. E durante os treinos de segunda-feira, no Rio de Janeiro, outro atleta sofreu uma contusão no joelho esquerdo, o meio-campista Martinez, que foi vetado pelos médicos palmeirenses para o jogo em São Januário.

Para o jogo contra o Vasco, o Palmeiras terá os jogadores Sandro Silva e Jumar entre os titulares na estréia na Sul-americana.

Além deste dois contundidos e que não devem enfrentar o Cori neste domingo, o time paulista não poderá contar com dois atletas que cumprem a suspensão automática na partida contra o time Coxa: Élder Granja e Valdívia.


(Foto: Steve Woods)

Evaldo pode aparecer no banco

O Coritiba poderá ter mais outra novidade no banco de reservas, para a partida contra o Palmeiras, além do argentino Ariel Nahuelpan. Trata-se do zagueiro Evaldo, que teve seu nome regularizado no BID, da CBF.

O jogador já avisou que chega ao clube para brigar por uma vaga na equipe principal, já que o clube tem uma carência neste setor do campo.

Em silêncio...

O Coritiba não tem que entrar nesta de rebater o treinador Luxemburgo.

Li a entrevista dele na íntegra. Ele citou vários times que não tiraram pontos do Grêmio - o raciocínio dele é simples: focar no líder, sempre - e que tiraram pontos do Palmeiras. Entre os times citados, o Coritiba.

“Essa derrota (para o Botafogo, no Rio) não me deixa triste. Foi normal porque eles são um time em crescimento. Só fiquei chateado com a derrota para os reservas do Sport, para o Coritiba, o empate com o Atlético-MG e o Figueirense, em casa. São adversários que não tiraram ponto do Grêmio”.
A declaração de Vanderlei Luxemburgo foi transcrita, na íntegra, de uma matéria do site Gazeta Esportiva.

O foco de Luxemburgo - assim como o de Muricy, do São Paulo - é ficar na cola do líder. Sempre. Até tirar o lugar do líder. É um conceito e com base neste conceito, eles estipulam metas de rendimentos para os seus times.

Bom lembrar que Luxemburgo também falou que os times que têm 31, 32 pontos irão brigar por uma vaga na Libertadores.

“As equipes que estão com 31, 32 pontos vão brigar por alguma coisa, uma vaga na Libertadores. Vão acontecer confrontos diretos e vão deixar o campeonato mais difícil. O Grêmio, por exemplo, na semana que vem pega o São Paulo e depois enfrenta o Flamengo no Maracanã”.


Por isto, deixa falar. Vamos nos preocupar com o nosso time. E vamos usar, internamente, sem criar onda na imprensa, muito do que se foi dito. Mas usar isto de forma serena, sensata, inteligente. Se a declaração de Luxemburgo - pra mim, absolutamente técnica, nada de desdém - for tratada além da conta, transforma o fato numa relação pessoal. E sem racionalizar, o time coritibano fica mais suscetível no jogo no Parque Antártica.

Luxemburgo é experiente, astuto, matreiro. Ele sabe potencializar as coisas. Não é uma boa entrar nesta onda de 'rebater'. É ficar com a cabeça fria e sair pra jogar futebol.

Entendo que, individualmente, o time (elenco) do Palmeiras é superior ao do Coritiba. E eles têm um treinador muito competente (como treinador). E, jogando em casa, o Palmeiras tem tido um ótimo desempenho (92,5%), assim como o Coritiba. Mas eles terão dois desfalques importantes - Valdívia e Élder Granja - e o Coxa pode tirar proveito disto.

Tem jeito de ser um jogo complicado. Ficar em silêncio é o caminho: papel de jogador é jogar bola, com a cabeça fria, sem entrar no embalo de uma declaração que está sendo potencializada pela imprensa. E, lá no campo, jogar bola.

(Foto: Sophie)