domingo, 3 de agosto de 2008

Enfim, uma vitória inquestionável!


Uma vitória merecida. O Coritiba jogou bem e venceu o Santos, em plena Vila Belmiro, local onde o Coxa nunca tinha vencido até então. Apesar de alguns vacilos defensivos durante a partida, o Verdão teve um desempenho ofensivo muito bom e Keirrison fez a diferença: três gols e vitória de 3x1 para o Cori.

Dorival Jr. mudou o time para o início da partida, colocando Alê e Rubens Cardoso no meio de campo do time e Guaru na lateral-esquerda. Formaram o time no 3-6-1 com EB; Maurício, Mancha e Nenê; Rodrigo, Alê, Rubens Cardoso, Carlinhos Paraíba, João Henrique e Guaru; Keirrison.

A postura tática do Coxa foi consistente no ataque, com boa troca de passes em velocidade. Na zaga, alguns contra-tempos, mas na base da raça e do 'bico pra frente', o Coritiba conseguiu suportar a ofensiva santista, que contava com o apoio do seu torcedor, depois de vencer duas vezes seguidas na competição.

O diferencial do jogo foi Keirrison, que fez o primeiro gol numa linda cobrança de falta - antecipada na narração de Edilson de Souza, na Transamérica FM -, o segundo (já no tempo final), depois de aproveitar um rebote do goleiro do Peixe, que defendera parcialmente um arremate de Rubens Cardoso e o terceiro, já nos momentos finais, num ótimo cruzamento de Alê, pela direita, que achou K9 livre de marcação para marcar de cabeça. O time praiano descontou com seu principal jogador revelado na temporada, Maikon Leite.

Durante o segundo tempo, Dorival (que foi expulso pelo árbitro), mexeu no Cori, quando o time paulista aumentou sua blitz ofensiva. DJ acabou sacando Rodrigo Heffner (que tinha um cartão amarelo), João Henrique e Carlinhos Paraíba para as entradas do jovem Arilton (dono de um bom cruzamento de pé direito), Hugo e Ricardinho.

A partida do Coxa no litoral paulista merece elogios. Enfim, uma vitória inquestionável, de um time que não jogou acuado contra o Santos. Um time que soube aproveitar as características de seu principal atacante, K9, dono de uma estrela inegável: ele decidiu a partida, para a alegria da galera Coxa-Branca que estava na Vila (entre torcedores coritibanos locais e integrantes da Império Alviverde que viajaram até o litoral paulista).

Com esta vitória, o Coritiba ocupa a 7ª posição na tabela, com 26 pontos e no meio de semana encara mais uma partida 'indigesta', contra o Vasco (que vem de uma goleada de 4x0 sofrida frente ao São Paulo, no Morumbi), no Rio de Janeiro.

O bom desempenho e resultado obtido frente ao Santos - bom lembrar que apesar de um elenco que pode mostrar mais, está na Zona de Rebaixamento há várias rodadas -, não pode desmobilizar o Coritiba, que precisa de reforços se o objetivo é a Libertadores em 2009. Já que passados quase um turno, o Coxa não está no G4.

Ah! E ainda há fumaça nos bastidores do futebol coritibano. Tem que ter 'combustível' para queimar por mais 21 rodadas. O campeonato é muito difícil - apesar de ser o Brasileirão de pior índice técnico desde a adoção dos pontos corridos em dois turnos - e não se pode descuidar de todos os detalhes. Dentro e fora de campo, inclusive com os 'invisíveis'.

(Foto: Marcello Schiavon)

Falando em reforços: e a grana, já chegou?

No último dia 22, o gerente de futebol do Coxa, Paulo Jamelli, falou à imprensa sobre a busca de reforços pelo Clube. "Vamos esperar que o Guaratinguetá nos repasse o valor da multa para trazermos um zagueiro e também um lateral-direito e um atacante", destacava Jamelli.

Já chegou um zagueiro, Evaldo, ex-Santos.

Faltam um lateral-direito e um atacante, conforme foi projetado por Jamelli. E não vale contar como já contratado um lateral com a ampliação do contrato de Rodrigo Heffner, pois ele já fazia parte do elenco.

E a grana, já chegou de Guaratinguetá?