terça-feira, 11 de novembro de 2008

Aqueles que subirão


A expectativa é grande. Talvez seja a etapa mais esperada dos resultados do primeiro ano da gestão do presidente Cirino: avaliar a capacidade dos jogadores da base que subirão ao time principal para as disputas da temporada 2009.

A expectativa é tão grande quanto natural, já que nos últimos anos, o Cori despontou com grandes revelações que empolgaram a torcida. É verdade que outras revelações ficaram bem aquém do esperado para um time profissional, mas Adriano, Rafinha, Miranda, Keirrison, Pedro Ken, Henrique deixaram na torcida um ar de que é possível fazer times competitivos nos quais atletas formados em casa sejam titularíssimos.

Agora, é saber quem subirá e saber se eles terão condição de compor o time titular, o que é o esperado, já que o elenco atual é fraco.

Para uma temporada com necessidade de vencer pelo menos um título nacional ou internacional - é o ano do Centenário e a imagem apagada que o Galo, o time centenário desta temporada deixou é um sinal de alerta para os próximos centenários -, a cobrança será enorme. O primeiro ano de noviciado estará findado e o torcedor irá cobrar mais fortemente da diretoria. A expectativa é time forte para trazer títulos para o Alto da Glória.

Com este cenário complicado, naturalmente os jovens terão que estar bem preparados para a pressão que recairá sobre eles. Não se trata de dizer se a pressão é ou não correta, mas sim saber o que fazer com esta pressão, pois ela será um fato que o Clube terá que conviver durante todo o ano de 2009. É uma fase de maturidade para os gestores. Chegou a hora de montar um grande time. E chegou a hora de saber como foi o ano de trabalho do futebol das categorias de base.

Felizmente, o Coritiba tem diretorias profissionais e por isto a cobrança por resultados fica mais evidente e justa. A base conceitual do Projeto Vencer será colocada em prova dentro um mês e meio, com a subida dos juniores para o time principal.

Nenhum comentário: