sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Qual é a do Coritiba?

Este é o Coritiba do Campeonato Brasileiro 2008: 29 pontos em 18 jogos (8 vitórias, 5 empates, 5 derrotas), 26 gols-pró, 19 gols sofridos (7 gols de saldo). Um aproveitamento de 53%.

As últimas (e boas!) vitórias sobre Náutico, Santos e Vasco, todas fora de casa, todas contra adversários em má fase (destes, o Santos deve crescer na competição), fizeram a calmaria voltar ao Alto da Glória.

Percebo junto aos colaboradores mais próximos da diretoria - um seleto grupo de conselheiros e/ou torcedores que devem ser candidatos a conselheiro na próxima eleição do Clube (quando será?) uma entusiástica relação com o momento do Clube no Brasileirão. Algo sou "Eu já sabia!", querendo referendar o bom momento com uma boa gestão do futebol - algo que eu não vejo da mesma forma.

Por vezes, a alegria destes parece ser maior com os feitos da diretoria do que os feitos do time. Vá entender?! Entra ano e sai ano e é como se fosse uma disputa pessoal entre as correntes políticas do Clube. E o futebol? Ah, o futebol não tem graça. A graça maior é as auto-conquistas ou os fracassos dos adversários - não os da bola, os da política interna. Foi assim, tem sido assim. Espero que um dia deixe de ser assim, pois pra mim, o que conta é o tal de Foot Ball Club...

Mais do que este bom momento na tabela, agora "O time é bom", agora o time vai para a Libertadores. Pra mim, o atual elenco - sem contar com a avaliação in loco do futebol de Ariel, Evaldo e Jailson -, o Coxa não tem time para chegar na Libertadores 2009, precisando pra isto de mais reforços.

No dia 20 de julho, Jamelli disse que o Coxa esperava o depósito do valor da venda de Michael ao futebol do Japão - afinal, quanto foi a venda? E, segundo o homem forte do futebol coritibano, o Coxa ainda procurava um lateral-direito (dias depois, anunciava-se a renovação com Rodrigo Heffner) e um atacante para reforçar o elenco. Do atacante, o qual eu vinha cobrando das declarações de Jamelli, faço a mea culpa e admito o erro: ele já chegou, é Jailson, anunciado no dia 30. Logo, faltaria apenas um lateral-direito na avaliação do Clube - já que Heffner já estava no Alto da Glória, só teve o seu vínculo prorrogado. Se a idéia era apenas renovar o contrato, Jamelli não teria dito que o Verdão ainda procuraria um lateral-direito...

Ou então, Heffner foi uma 'grata surpresa' para o departamento de futebol, que não teria feito uma avaliação correta - bom lembrar que o jogador ficou 3 meses no Clube e nunca tinha sido nem relacionado para o banco de reservas e, do dia pra noite, com uma combinação maluca de contusões e suspensões, virou titular absoluto -, mas que pela situação, ficou com ele e agora age em silêncio, deixando no esquecimento a necessidade de contratar mais um camisa 2. É...

E este dinheiro da venda do Michael - que não era atacante, era meia-atacante -, onde foi aplicado? O Coritiba S/A está gerindo todas as receitas do Clube ou alguma receita foi parar no Coritiba Foot Ball Club. Se sim, onde foi aplicado este dinheiro? Mas esta é uma pergunta para outro debate, em outro momento. Por enquanto, fiquemos na bola, já que a bola está bem e o dinheiro tem sido suficiente para manter a bola 'bem'...

Está bem na tabela o Alviverde, sem dúvida, mas a pergunta é: termina assim a competição? Passa pelos famosos 'setembro negro' incólume? A tabela para agosto e setembro é complicada, mas já que o time não é ruim como rebatem uns - logo, se não é ruim, é bom... -, o Coritiba deve crescer ainda mais na competição e chegar ao G4 é mera questão de tempo.

O tempo dirá. Mas antes disto, a diretoria precisa nos dizer: onde o Coritiba quer chegar com este time? Se o silêncio permanecer, vale a última palavra: Libertadores 2009.

Já que a diretoria não diz, o tempo dirá...

(Foto: www.sxc.hu)

Nenhum comentário: