terça-feira, 19 de agosto de 2008

Cadê os pratas da casa?

No dia 16 de março, o site oficial do Coritiba noticiava que o Clube chamava o atacante Roger, das categorias de base, para compor o elenco profissional. Quase um mês antes, em 20 de fevereiro, outros três atletas subiram ao profissional: Tiago Real, Ruy e William já treinavam com o elenco principal.

Estamos em agosto.

E me pergunto: onde estão estes quatro jogadores?

Não entendo os critérios do departamento de futebol do Coritiba. Ao se definir que um atleta subirá do Juniores para o profissional é necessário ter a certeza de que ele está preparado. Uma coisa é chamar um atleta da base para cobrir eventualmente uma necessidade. Outra, é definir a subida para o time principal. São coisas bem distintas.

Fico imaginando a cabeça destes jogadores, a quantas anda? Sentiram a possibilidade concreta - já que foi um anúncio oficial - e agora continuam no Juniores.

Enquanto isto, o contrato de Tiago Real e de Leandro (zagueiro que está na Seleção Brasileira Sub20) findam em menos de um ano...

Enquanto isto, uma jovem promessa, que chegou a ser camisa 10 do Coritiba num AtleTiba profissional, Renatinho continua no Juniores...

Não discuto se as decisões estão acertadas ou não. Discuto a forma do procedimento. A expectativa gerada não só nos jogadores que "subiram", mas em mais atletas da base - algo natural, já que convivem juntos há tempos -, para depois voltarem aos Juniores me parece mais prejudicial do que favorável aos jogadores.

Antes que alguém que queira defender a diretoria - e não necessariamente a Instituição Coritiba - me pergunte, já respondo: é óbvio que não sei o motivo! O Clube nada explica. Daí, surgem as dúvidas.

Mas uma certeza eu tenho: quem decidiu que eles estavam preparados para subirem não conversou direito com quem decidiu que eles não estavam preparados para tal. As avaliações profissionais tiveram alguma falha, em algum momento entre os processos de análise e decisão. Deu no que deu.

É necessário avaliar cuidadosa e criteriosamente para se errar menos possível nesta fase de transição entre Juniores e profissional. E foram quatro atletas, sem contar o Renatinho, que também subiu pelas mãos de Dorival.

Cabe ao departamento de futebol profissional corrigir isto. Se os atletas não estão preparados, que o sejam, pois são patrimônio do Clube.

Ou logo logo, estarão nas mesmas situações de Keirrison e Marlos: indo embora, de graça...

(Foto: Ervin Bacik)

Um comentário:

Jango disse...

um perguntar não ofende (de grande saudade em outro sitio): quantos jogadores foram revelados/lançados pela base neste ano e que hoje são titulares?
não posso esquecer de mencionar os últimos: Rafinha, Henrique, Miranda, Adriano, Mancha, PK, Marlos, Ricardinho, Marcel, K9 e outros.....e se olhar bem só faltou um goleiro p/formar um excelente time aí nesta 'listinha'.