quinta-feira, 17 de julho de 2008

Vitória na raça!


Foi merecido. O Coritiba venceu o líder - e até então invicto fora de casa - Flamengo, por 1x0, um gol de Rodrigo Mancha, ainda no primeiro tempo. Se o time visitante teve amplo domínio territorial e de posse de bola, foi o Verdão o time que teve mais vontade de vencer.

O time do Urubu mostrou um bom toque de bola, especialmente com os dois volantes e os dos alas, jogadores de muita velocidade e técnica.

A posse de bola ficou mais para o time de Gávea. Para compensar, restava ao time Coxa lutar bravamente na defesa. Apesar de ceder espaços e cometer faltas perigosas, na proximidade da área - alguns lances, mais na base do erro de arbitragem, que marcava faltas inexistentes -, o Fla pressionou o Cori no seu campo de defesa.

No primeiro tempo, o jogo estava mais equilibrado até o gol do Verdão, num chute de fora da área de Rodrigo Mancha, que desviou na zaga e foi parar no fundo das redes rubro-negras, para a explosão de alegria de mais de 30 mil fiéis coritibanos.

O Coxa teve dois bons momentos, um com Keirrison, que demorou muito para chutar e foi desarmado quando tentou fintar para dentro da área e outro, com Marlos, que poderia bater forte, mas tentou colocar a bola e a zaga cortou. Já o Flamengo mostrava boas triangulações e por algumas vezes conseguiu chegar à grande área do Cori com lances pelos laterais da direita e da esquerda. Na superação da zaga, com Maurício, Mancha e Felipe - estes dois últimos, em noite inspirada -, o Coritiba evitava o gol do Flamengo.

Vendo a luta do time Coxa-Branca, a galera não decepcionou. Pelo contrário, jogou junto - e por vezes, mais do que o time -, trazendo o "equilíbrio" ao jogo. Ainda no primeiro tempo, uma contusão tirou Leandro Donizete do jogo. Veiga entrou e deu conta do recado.

No segundo tempo, o time visitante dominou ainda mais o jogo. O Coxa se fechou na defesa e procurou o contra-golpe. Se por um lado o time visitante dominava as ações ofensivas, o Alviverde mostrava um brio muito grande para segurar a vantagem no placar. O time carioca jogava melhor, mas quem queria ganhar, do fundo do coração, era o Verdão.

E foi assim, num jogo com alguns poucos lances de maior ofensividade e mais emocionante, com
a torcida cantando todos os noventa e poucos minutos - um barulho esurdecedor ecoava no Alto da Glória, com a Nação Coxa jogando junto com o time -, num verdadeiro festival de emoção.

É verdade que o Verdão tentava o contragolpe, mas o ataque não era municiado com bons passes, capazes de livrar Keirrison (depois Cadu) e Hugo da boa marcação flamenguista.

O time da Gávea teve dois bons lances, de bastante perigo. Um deles, quase no fim da partida, São Édson Bastos fez uma defesa espetacular, quase que milagrosa, e evitou que a bola que entrava no ângulo direito fosse parar nos fundos das redes. Recebeu aplausos de pé dos mais de 30 mil coritibanos presentes no Couto.

Num jogo onde o adversário teve mais posse de bola e domínio territorial, buscou o jogo ofensivo todo o tempo, o que ficou para a história é o placar de 1x0, no grito e na raça, como é peculiar na história do Coritiba. Não jogamos melhor, né Caio Jr? Pois é, mas vencemos. Daqui há um ano, quando se lembrarem de como foi Coritiba x Flamengo, no Alto da Glória, as estatísticas dirão: vitória do Coritiba, 1x0, gol de Rodrigo Mancha. E os três pontos ficaram em casa, para o time mais valente.

Enfim, um Coritiba com alma de Coritiba. Quando não dá na bola, tem que ser no coração. E assim foi: o coração Verde e Branco bateu mais forte que o coração rubro-negro. Merecido, para o time e para a torcida, que jogaram juntos.

Um comentário:

Rafael Augusto disse...

Mostrar essa vontade dentro e fora do Couto é garantia de casa cheia sempre, mas londe do Monumental, os jogadores não podem esquecer que tem os guerreiros que viajam para o Brasil inteiro com o time, e mais uma nação com os ouvidos colados no rádiotorcendo e apoiando de longe, e é por essas e outras que o time tem que mostrar a mesma raça dentro como fora de casa, que na hora do gol, independente da distância, tamanho é a torcida do verdão, será possível escutar os grito de gol pelo Brasil inteiro...Raça verdão, você é campeão...