sexta-feira, 4 de julho de 2008

Se contentando com pouco

Publicada originalmente na coluna "Falando com as torcidas" do Jornal do Estado

Se contentando com pouco

Terminado o AtleTiba e os ares de "Ficou bom pra todo mundo" surgiu. Do lado deles, o choramingo de erros de arbitragem. Do lado nosso, o desfalque de Keirrison prejudicou o time. Enfim, pouco para ambos os lados. Na prática, os times são muito limitados para tentar uma Libertadores. As torcidas saem satisfeitas, pois ninguém perdeu e terá que agüentar a gozação na segunda-feira.

Num confronto direto, o empate acaba ocultando a real situação da fragilidade dos times. "Eles" se espertaram e estão contratando, reforçando o elenco. Nós, nem isto. O panorama é sempre o mesmo: faltou pouco, foi quase, "Mas se..." Enquanto isto, o campeonato segue e o G4 fica cada vez mais distante.

Do Coritiba, que é o que interessa - é o time grande do AtleTiba - chegou a hora de uma profunda avaliação. Passados cerca de 25% da competição, fica a pergunta: temos time pra chegar na Libertadores? Ariel, com seus sete gols numa competição onde o artilheiro fez 19, basta? Ele e mais um atacante bastam? Até quando o Coxa dependerá quase que exclusivamente de Marlos, Michael e Paraíba para criar uma jogada com três passes certos, em velocidade e em direção ao gol? K9 volta. Verdade, mas jogará com quem?

Eu quero time com jeito de Coritiba, time de chegada, que empolgue. Time de raça não é qualidade, é obrigação. É o mesmo que ser sério. Não é qualidade, é obrigação ser sério.

Falta muito para uma Libertadores. E é bom ficar atento, pois o campeonato continua e estamos longe dos primeiros.

Coxa eu te amo!

Nenhum comentário: