segunda-feira, 7 de julho de 2008

Reforços? Tá difícil...

Paulo Jamelli, gerente de futebol do Coritiba, falou à imprensa após o fiasco em Porto Alegre, na derrota de 3x0 para o Internacional. Trechos da entrevista de Jamelli foram reproduzidas pelo jornalista Rodrigo Sell. Confira:

“A gente está correndo atrás. Temos que reforçar o nosso time em vários setores e a gente está trabalhando para isso. Estamos com uma urgência no setor defensivo, mas não podemos contratar qualquer jogador e temos que pensar direitinho”, disse Paulo Jamelli, após a derrota para o Inter.

De acordo com o homem forte do futebol Coxa-Branca, o clube não está encontrando jogadores com qualidade e o perfil desejado. “Ou você contrata jogador que está vindo do exterior para jogar em agosto ou você contrata jogador que está encostado, sem ritmo de jogo ou traz alguém da Série B. São os mercados possíveis e estamos estudando”, falou o profissional do departamento de futebol do Cori.

Segundo Jamelli, o maior problema no momento não é o financeiro, e sim, o de encontrar atletas disponíveis no mercado. “Estamos trabalhando em várias frentes, jogadores de nível de seleção, de Série B, mas é complicado. Não é uma questão financeira e é difícil achar jogador no mercado”, disse o gerente de futebol.


Pra pensar...

Com base nas declarações do homem forte do futebol coritibano, me pergunto: afinal, qual é o perfil dos atletas que o Coxa pretende ter? Dos 21 contratados até aqui, um - e só um! - deu certo: Carlinhos Paraíba. Pra piorar, quem o contratou, o Tonico Xavier, não está no Clube...

A correta identificação deste perfil é o começo de tudo. Pelo que foi apresentado em sete meses de 2008, a gestão do futebol Coxa-Branca está sendo mal feita. As contratações foram quase na maioria absoluta muito mal feitas.

Das dispensas do elenco da temporada passada, pouco se pode fazer além de projetar suposições de que se atletas como Gustavo, não poderiam ser úteis ao atual elenco. Acredito que Gustavo poderia ter sido bastante útil ao Verdão.

Caíco, Edmilson, Anderson Lima até poderiam compor o atual elenco, sanando uma dificuldade que Dorival Jr. - um dos responsáveis diretos na formação do atual elenco - já identificou: a inexperiência de muitos jogadores para o Brasileirão da Série A. Pois bem, neste aspecto, Caíco, Edmilson, Anderson Lima seriam úteis - tenho sérios desconfianças de que eles teriam dificuldades no aspecto físico.

Então, pra se ter um comparativo do nível dos reforços que precisamos ter: além do fator técnico e físico, a experiência na disputa da competição.

Se o mercado está complicado, como diz Jamelli - apesar de complicado, os outros times estão conseguindo se reforçar, é bom que se diga -, precisamos saber como é que a maioria dos outros times está conseguindo contratar e se estão mais acertando do que errando. Se eles contratam certo, fica claro que a competência de Jamelli fica em cheque. E isto, só saberemos ao certo, de forma inquestionável, no final do ano, quando o Coxa terminar as 38 partidas do Brasileirão, quando pode ser muito tarde...

Jamelli trata a situação de uma forma direta: jogadores do exterior só podem jogar a partir de agosto. Tá certo. A dúvida é: mas porque cargas d'água só agora é que a diretoria está contratando? Por que não contrataram antes? Porque acreditaram que jogadores como Silvy, Bernardi, Nenê, Alex Silva, Dick, Tamandaré, Rubens Cardoso, Rodrigo, Alê, e ainda Leo, Leo Mineiro e Matheus - estes três últimos já dispensados - iriam fazer a diferença?

Se não falta dinheiro, o que é o principal numa relação de contratação de jogadores, falta o quê? Presumo que seja a falta de conhecimento da área...

Nenhum comentário: